Exposição “Pincelando Poesia” na Biblioteca Pública Municipal

Vai estar patente na Biblioteca Pública Municipal João Brandão, durante o mês de março, a Exposição de Pintura “Pincelando Poesia”, de Lucinda Maria.

BIOGRAFIA

Lucinda Maria Cardoso de Brito nasceu em Oliveira do Hospital, a terra do seu coração. Nos anos 50 do século passado, numa Terça-feira de Carnaval, veio ao mundo no seio de uma família humilde, mas honesta. Foi a primeira das quatro filhas de um casal muito jovem e bonito.

Desde que aprendeu a ler, fazê-lo tornou-se para ela algo verdadeiramente prazeroso e imprescindível. Foi uma leitora compulsiva na infância e na adolescência. Paralelamente, desenvolveu o gosto pela escrita. A Língua Portuguesa sempre a fascinou e adorava fazer as chamadas “redacções”.

Estudou na Escola Primária Feminina de Oliveira do Hospital e, depois, no Colégio Brás Garcia de Mascarenhas. Agradece aos belíssimos professores que teve o seu grande e cada vez maior interesse pela escrita. “A minha Pátria é a Língua Portuguesa!” – palavras de Fernando Pessoa que subscreve na íntegra.

Tornou-se professora do ensino primário em 1972, tendo tirado o curso na Escola do Magistério Primário da Guarda. Exerceu ininterruptamente as suas funções docentes, com espírito de missão até se aposentar com 52 anos. Considerou sempre prioritário o ensino da Língua Materna, pois julga ser a base de todas as outras áreas de estudo.

Depois da aposentação, começou a dedicar-se mais à escrita. Editou seis livros de poesia e participou em dezenas de colectâneas, a última das quais galaico-lusa. Paralelamente, foi pintando telas e já fez várias exposições.

Começou há pouco a ter aulas de desenho e pintura com aguarelas.

Frequenta a Universidade Sénior de Oliveira do Hospital, onde também é monitora de manualidades.

Aprender é um dos seus gostos, pesquisa e escreve sobre vários temas. Defende intransigentemente a necessidade de, a cada dia, podermos aprender sempre alguma coisa nova.

É acérrima opositora do Acordo Ortográfico de 90, não por ser conservadora, mas por considerar que é um atentado contra o bom uso da sua querida Língua Portuguesa.

Assina todos os seus trabalhos apenas como Lucinda Maria, o seu nome, enquanto autora.